logo_grupo_interclinicas.png

Atendimento 24 horas

(11) 3421-6352

Clinica de reabilitação de dependente químico
É a clínica que promove a desintoxicação, conscientização e ressocialização do dependente químico?
 
A dependência química trata-se de uma doença crônica que deve ser tratada a partir das causas biológicas, psíquicas e sociais que levaram um indivíduo a desenvolvê-la.
Por conta disso, o tratamento deve ser realizado de forma singular, por uma equipe composta por médicos psiquiatras, clínicos gerais, psicólogos, terapeutas que atuem de forma interdisciplinar na aplicação de um programa terapêutico de recuperação individualizado para cada paciente, de forma a atender as necessidades do mesmo.
Geralmente, o tratamento se dá seguindo as etapas da desintoxicação, conscientização e ressocialização. Veja a seguir como cada uma delas acontece.
 
Desintoxicação
Inicialmente, é importante salientar que um processo de desintoxicação bem-sucedido é feito através de acompanhamento médico, e, que raramente um adicto consegue passar por esse processo sozinho.
Em síntese, esse procedimento se fundamenta em administrar uma quantidade gradualmente menor da substância que causa dependência em um indivíduo, até que o organismo do mesmo não sinta mais necessidade de consumir a droga.
 
O processo é necessário principalmente nos casos de dependência de drogas que causam alterações no sistema nervoso central do adicto, chamadas de psicotrópicas ou psicoativas. A maioria das drogas como álcool, cocaína, crack, entre outras, se encaixam nessa categoria.
Como essas substâncias afetam estruturas e funções importantes do corpo humano, é aconselhável que a pessoa não interrompa abruptamente o consumo de uma substância que lhe causa dependência, principalmente se o histórico de consumo for mais longo.
Vale lembrar que o organismo do adicto manifesta efeitos colaterais quando há abstinência da substância que lhe causa essa dependência e que uma pessoa em crise de abstinência pode ter sintomas e reações imprevisíveis, que vão desde o descontrole emocional até a agressividade.
Também não se deve esquecer da existência do risco de o organismo simplesmente não suportar a falta da substância e começar a apresentar disfunções que podem até levar à morte do dependente químico.
 
O processo de desintoxicação não acontece instantaneamente e cada adicto tem o seu período de tempo específico que varia de acordo com o grau de dependência, tipo de substância, entre outros fatores.
 
A internação do indivíduo pode ser recomendada durante algum período, para prover corretamente os medicamentos necessários e evitar os fatores que levam o paciente ao abuso de drogas.
 
Esse procedimento é conduzido por uma equipe médica, que administra a substância química para o dependente de forma controlada, reduzindo gradualmente as doses até a total limpeza do organismo.
 
Além disso, outras substâncias também podem ser necessárias no tratamento, a fim de aliviar dores ou controlar emoções, que podem se intensificar à medida que a concentração da droga no organismo vá diminuindo.
Especialmente nesse ponto, o auxílio médico é fundamental, pois, há substâncias que, quando combinadas, provocam danos às vezes letais em um organismo.
 
O processo de desintoxicação de drogas também pode demandar acompanhamento psiquiátrico ou psicológico. Esse tipo de tratamento é necessário para entender mais profundamente o que levou o indivíduo a consumir drogas e o que ele deverá fazer após a desintoxicação para evitar uma recaída.